Três Organizações de Base Comunitária filiadas à PLASOC beneficiaram de uma capacitação para em matérias sobre protecção contra a covid-19  e monitoria de serviços de saúde em tempo de covid-19.
Trata-se de organizações baseadas em Maputo nomeadamente:  Kindlimuka, Hixikanhy e Associação Moçambicana de Voluntários a Agentes Polivalentes de Saúde (AMOVAPSA).

Esta formação faz parte de uma iniciativa liderada pelo OCS de monitoria de serviços de saúde em tempo de covid-19 que visa  monitorar a disponibilidade e acesso a serviços de saúde para paciente crónicos.

Além das três organizações citadas acima faz parte também da iniciativa a organização Pfuka U Hanya que vai se beneficiar da mesma capacitação nos próximos dias.
Segundo Antonio Mathe, Assistente de Programas do OCS, esta iniciativa resulta de relatos que devido ao Estado de Emergência decretado a 01 de Abril, alguns pacientes crónicos estão a passar por grandes dificuldades para deslocarem-se a unidades sanitárias para consultas e levantar medicamentos porque há limitações na mobilidade das pessoas.


Outra razão é pelo facto de os Activistas Comunitários de Saúde não serem reconhecidos como provedores comunitários de serviços básicos de saúde onde consequentemente não estão contemplados para receber material de proteção para continuarem a fazer a ligação entre a unidade sanitária e o paciente. “Com esta iniciativa esperamos que os activistas tenham proteção suficiente para continuarem a fazer o seu trabalho essencial de apoio e cuidados domiciliários e transmissão de mensagens corretas sobre medidas de prevenção do covid-19”, disse Antonio Mathe.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

× Fale connosco