Clélia Pondja

é licenciada em Ciências Sociais, Mestre em Antropologia das Migrações Inter-Etnicidades e Doutora em Antropologia. Ao longo da sua carreira no campo de pesquisa, trabalhou como consultora do projecto IMPACT/BICA e como Focal Point para área de género, no Centro de Integridade Pública (CIP). Para além de se dedicar à pesquisa em áreas diversas, Clélia é activista dos Direitos Humanos e, em particular, activista dos Direitos da Mulher para a Igualdade e Equidade de Género e preocupa-se igualmente em defender o direito ao acesso à saúde pública digna para todos. Actualmente, exerce a função de Coordenadora de Monitoria e Pesquisa, no OCS

Marta Simone

é formada em Jornalismo, Sociologia e Farmacologia. Trabalhou como activista social e consultora. No exercício das suas funções, tem-se dedicado à consultoria e à pesquisa em prol do acesso justo e equitativo de medicamentos, defende igualmente a causa dos Direitos Humanos no acesso aos serviços qualitativos de saúde. Actualmente, no OCS, exerce função de Oficial de Programas.

António Mate

formado em Ciência Política pela Universidade Eduardo Mondlane, tem-se focado em estudos centrados em políticas de saúde. Mathe é igualmente activista social e defensor dos Direitos Humanos – veia que norteia a sua acção de cidadania a favor dos “sem voz”. Actualmente, tem exercido a função de Assistente de Programas na área de Participação Pública, no OCS.

Ananias Congolo

é formado em Informática e Contabilidade. Ao longo do seu exercício profissional, foi monitor académico de Informática, no Instituto de Informática e Gestão, assim como no Centro de Formação ABC. Trabalhou na JC Consultores, na área de Contabilidade e Fiscalidade. Congolo é activista social preocupado com idosos desamparados, sem abrigos e desfavorecidos. Nas suas abordagens, tem defendido a necessidade de se implementar, a partir do Ensino Básico, conteúdos relativos ao empreendedorismo. No OCS, Congolo exerce a função de Assistente de Contabilidade e Recursos Humanos.

Rogério Simango

é licenciado em Finanças (com habilitações Técnicas de Orçamentação, Gestão Financeira, Análise Financeira, e Análise de Investimentos Financeiros) pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM). Actualmente, é estudante de Informática Aplicada na Universidade Pedagógica (UP) e colaborador do OCS, na área de análise de Financiamento e Execução do Orçamento Público no sector da saúde. Simango interessa-se por estudos nas seguintes áreas: Análise e Gestão de Projectos de Investimento, Projecções e Previsões em termos de Tendências Prováveis de Oscilações e Flutuações de Agregados Macroeconómicos e Financeiros; pelo facto de estas áreas constituírem grande impacto na vida social e económica de Moçambique. Exercendo actividades nas áreas em alusão, Rogério Simango espera contribuir para a redução da desigualdade em Moçambique.

Jorge Matine

é o fundador e director executivo do Observatório Cidadão (OCS) para Saúde e, desde 2019, lidera o trabalho de aborto seguro do Ipas-Moçambique. Para além de ser membro de Direção do Fórum de Monitoria do Orçamento (FMO), matine possui uma vasta experiência nas áreas de investigação em temas de políticas públicas e direitos sexuais, saúde sexual e reprodutiva. Foi director de saúde sexual e reprodutiva na Pathfinder Internacional em Moçambique, com enfoque específico na saúde e direitos sexuais e reprodutivos, incluindo o aborto seguro. Trabalhou igualmente com o Centro de Integridade Pública (CIP) – uma Organização Não-governamental que trabalha em prol da anticorrupção e boa governação – como investigador e coordenador do Pilar de Receitas e Despesas Públicas. Matine também serviu como assessor técnico das Nações Unidas (ONU) para programas de saúde sexual e reprodutiva de adolescentes e jovens. Matine é licenciado em Ciências Médicas e doutorado em Assistência Social e Cuidados de Saúde.

× Fale connosco